Hoje é dia de educação financeira no blog e a equipe da Vai Investir contará sobre liquidez, o que facilitará seus caminhos para o investimento.

O que é liquidez? Para quem acabou de entrar nesse mundo de investimentos, esta é uma pergunta recorrente. O mercado financeiro exige que o investidor esteja em constante aprendizado para ser bem-sucedido. Entender o conceito de liquidez é essencial para escolher os melhores investimentos para o seu perfil de investidor.

Você já deve ter ouvido falar que todo investimento é definido por três pilares principais: liquidez, rentabilidade e segurança. O chamado “tripé dos investimentos” é o que determina se uma aplicação é a mais acertada para a sua carteira, por isso a importância de entender cada conceito.

Segurança é um elemento bem conhecido do tripé e diz do risco de um investimento, que pode ser baixo ou alto. Rentabilidade, como o próprio nome sugere, significa o quanto aquele investimento vai render.

A liquidez, por sua vez, é onde muita gente se perde. O termo parece complexo, mas seu significado é simples. Por isso nós do blog Vai Investir montamos esse guia completo para explicar o que é liquidez para você montar a sua carteira de investimentos. Ao longo do texto você vai aprender:

  • o que é liquidez na teoria e na prática;
  • a importância da liquidez para montar sua carteira de investimentos;
  • os conceitos que interferem na liquidez;
  • os tipos de liquidez;
  • a relação entre tempo e lucro na liquides;
  • e como diferenciar liquidez e rentabilidade.

O que é liquidez?

O termo do mercado financeiro significa a capacidade de converter o seu ativo em meio de troca. Ou seja, significa quanto tempo leva para o investidor se desfazer do investimento e ter o dinheiro disponível.

Para entender o que é liquidez na prática, imagine que você está precisando de uma certa quantia de dinheiro e a única solução é retirar de algum investimento. O processo de transformar o seu ativo em dinheiro na sua mão, pronto para ser usado, pode demorar desde algumas horas até vários dias. Esse tempo de espera é a liquidez.

Cada tipo de investimento tem uma fórmula de equilíbrio entre os três pilares — segurança, liquidez e rentabilidade. Você nunca vai encontrar um investimento “perfeito” nos três aspectos. É aqui que entra a necessidade de saber o perfil de investidor e de diversificar a carteira.

Via de regra, quanto maior a rentabilidade do investimento, menores sua segurança e liquidez. Ou seja, se quiser ter uma rentabilidade alta, você precisa estar disposto a arriscar e saber que a conversão do ativo em dinheiro pode demorar.

Ações, por exemplo, são investimentos considerados de maior risco, mas podem proporcionar um retorno elevado, e sua liquidez depende do humor do mercado e da capacidade do investidor de negociar e vender suas cotas.

Na outra extremidade, existe a caderneta de poupança, com risco zero, liquidez imediata, mas rentabilidade ínfima. Assim, cada investimento tem seus prós e contras.

Por que é importante considerar a liquidez?

Cada investimento tem diferentes índices de liquidez, rentabilidade e risco. Quando você escolhe uma aplicação, é essencial que leve em consideração a necessidade de usar aquele dinheiro a qualquer momento, fora da data de vencimento.

É imprudente para um investidor escolher investimentos apenas pela rentabilidade e ignorar a liquidez. Com isso, é possível que acabe colocando todo seu capital em investimentos de baixa liquidez.

Dessa maneira, se necessitar de dinheiro de imediato, para alguma emergência, por exemplo, esse investidor pode ter dificuldade em conseguir a quantia de um dia para o outro. Por isso, saber o que é liquidez é a chave para investir com sensatez e inteligência.

Como usar a liquidez estrategicamente

Quando o investidor saber o que é liquidez, ele pode usá-la ao seu favor ao montar a sua carteira de investimentos. Uma das iniciativas de todo investidor, que é comumente a primeira meta traçada, é o estabelecimento de uma reserva de emergência.

Essa reserva deve equivaler a seis meses de custo da família. O mais importante é que você consiga acessar esse dinheiro com facilidade no momento da necessidade.

Por isso, é recomendado que a sua reserva de emergência esteja em um investimento de alta liquidez. Assim você consegue render um pouco, ainda que menos, mantendo a vantagem da liquidez.

Por outro lado, investimentos de maior rentabilidade e menor liquidez se tornam mais atraentes para metas de longo prazo, como uma reserva para a aposentadoria. Lembre-se de considerar se, definitivamente, não vai precisar daquele dinheiro em uma emergência.

Conceitos associados à liquidez que você precisa saber

Além de saber o que é liquidez, alguns conceitos são importantes para entender como esse fator interfere na hora de escolher seus investimentos.

Carência

É o período entre o momento da aplicação inicial e a liberação para sacar o dinheiro. Alguns investimentos têm carência de 30 a 90 dias, período no qual não é possível retirar nenhuma quantia da aplicação.

Vencimento

É o prazo final para que o dinheiro investido atinja o rendimento prometido na compra. Uma aplicação com vencimento em 2023, por exemplo, deve permanecer até o ano citado para garantir o rendimento total.

Prazo de resgate

É o tempo entre a solicitação do resgate e a disponibilização, de fato, do dinheiro. Esse é o prazo que determina o tipo de liquidez de cada investimento.

Quais são os tipos de liquidez?

Para entender por completo o que é liquidez e poder avaliar os investimentos mais adequados para compor a sua carteira, é preciso conhecer os diferentes tipos de liquidez e considerar seus prazos pessoais.

Liquidez imediata

Também conhecida como D+0, a liquidez imediata significa que o seu dinheiro estará disponível no momento do pedido de resgate. Isso acontece com fundos de investimento D+0 e a própria conta corrente, por exemplo.

Liquidez diária

A liquidez diária, ou D+1, refere-se ao prazo de um dia útil para a disponibilização do dinheiro após o pedido de resgate do investimento. Esse tipo de liquidez acontece no fundos de ações com mais rentabilidade e menos segurança.

Liquidez no vencimento

Com a liquidez no vencimento, só é possível resgatar o dinheiro no final do prazo de expiração. Isso quer dizer que o dinheiro fica preso na aplicação para que seja garantida sua rentabilidade. Existem investimentos de curto, médio e longo prazo com esse tipo de liquidez, como CDBs, LCIs e LCAs.

Liquidez nula

No caso da liquidez nula, o investidor não tem previsão de quando o dinheiro vai estar disponível. Isso acontece no caso de investimento em imóveis, por exemplo. Caso precise do dinheiro, o investidor dependerá do mercado, do interesse de um comprador e da liberação do pagamento, o que pode demorar meses e até anos.

A relação entre tempo e lucro na liquidez

É importante ressaltar que a definição de o que é liquidez se refere não somente ao tempo para o dinheiro voltar para você e sim ao tempo necessário para receber o valor real e total do ativo.

Algumas modalidades de investimento são classificadas como baixa liquidez, mas não necessariamente demoram muito tempo para serem convertidos em dinheiro. A questão é que, para ter esse valor mais rápido, você vai precisar abrir mão do lucro – ou até ficar no prejuízo.

Imóveis são um bom exemplo disso. A liquidez aqui depende do tempo para conseguir achar um comprador disposto a pagar o valor que você quer. Se precisar vender com urgência, a solução será abaixar o valor até vender.

Liquidez ou rentabilidade?

É comum que os conceitos de o que é liquidez e o que é rentabilidade se misturem um pouco e dificultem a decisão do investidor. Afinal a relação entre os dois é muito próxima e interdependente, com um influenciando o outro constantemente.

Então, para não esquecer mais, a rentabilidade é a capacidade de o seu dinheiro gerar mais dinheiro. Ou seja, está ligada ao retorno financeiro do seu investimento.

A liquidez, por outro lado, se refere ao resgate do investimento com os seus rendimentos. Ou seja, a velocidade de conversão da sua aplicação em dinheiro na sua mão.

Lembre que, se você decidir retirar precocemente o capital investido em uma aplicação de liquidez no vencimento, não receberá os rendimentos, apenas o capital inicial.

Na liquidez diária, por sua vez, o resgate é feito do capital investido e de seus rendimentos por aquele período, ainda que o prazo da aplicação não tenha chegado ao fim.

Agora, que você já conhece os principais elementos a considerar na hora de investir e sabe tudo sobre o que é liquidez, é hora de avaliar suas opções e montar a melhor carteira de investimentos para o seu sucesso financeiro.

Gostou deste artigo? Siga a Vai Investir nas redes sociais — Facebook, Instagram.

Para ver mais artigos sobre a jornada de conhecimento financeiro aqui no blog, clique aqui.